25 de jan de 2009

Da espera

O vento penteou os meus cabelos
encantou meu desespero
como quem nada me exigisse

Consenti em desapego
do que me amedrontava

Implorei por zelo, afago, por silêncio
como quem a si mesmo apagava
como quem a si mesmo sofria
como quem a si mesmo temia
como quem a si mesmo calava.

(Dani Zamorano)