5 de mar de 2009

Domino...

Formatura de uma querida amiga. Nascimento da minha sobrinha Aurora. Acontecimentos especiais, início de ciclos de, e para pessoas importantes. No fim da noite, entre outros, um susto. Uma confusão que achei que não fosse mais vivenciar. Afinal, fazem anos. Um esboço mau humorado, grosseiro e insensível de interesse fundamentado. O vi de forma romântica... sem nenhum motivo aparente.

Domino (existem tantos segredos dentro das palavras...)

Há em você um silêncio
que me perturba,
que me fala internamente

Há no teu calar
uma ofensa ao
meu coração displicente

De que forma
resguardada você
se move até mim?

De teus olhos sei
tão pouco,
de minha miragem
timidamente vejo
tua voz me invadir.

Quem é você que tão
pausadamente se aproxima?
E como uma ameaça inocente,
o meu pensamento domina.

Há algo que estranhamente
te entrega
e me anula
e transforma em espera
o que antes não era

Linha estreita
que me tange e me capta
meu coração à espreita
do teu mistério,
que pros mares antigos de ilusão
me arrasta

E do que não domino
me afasto
como o idéia de paixão
que dentro de mim
teu silêncio resgata.
(Dani Zamorano)